domingo, 16 de maio de 2010

Angústia - 1987

 John (Michael Lerner) é funcionário de uma clínica de oftalmologia, mas acaba perdendo o emprego por causa de sua incompetência profissional. Ele vive sob os domínios de sua estranha mãe, uma velha psicótica e vingativa, que o hipnotiza e ordena que saia pelas ruas coletando olhos humanos. Todos os olhos da cidade serão nossos, ela profetiza. A partir daí, mergulhamos num delirante estudo sobre o poder hipnótico do cinema, quando a violência nas telas confunde-se com acontecimentos da vida real.




Crítica do Site, por Caina Moura

Eu realmente, fiquei sem saber como colocava o título desta postagem... Haviam três modos: Angústia, nome original, Os Olhos da Cidade são meus, o que vem escrito na capa do DVD, e Os Olhos da Cidade, que vem na legenda do filme ao começar e no Menu. O detalhe é que na capa do DVD tinha "Os Olhos da Cidade são Meus" e na Legenda e no Menu do próprio DVD tem escrito somente "Os Olhos da Cidade"... Então optei por colocar o nome orginal, como fiz com "Os Amantes Vampiros", que na verdade é "Carmilla, a Vampira de Karnstein". A Works e seus erros de Legendas...
Bom, isso não tem a ver com o filme, e sim com a distribudora... Agora vamos falar do filme. Bigas Luna, era diretor de filmes Eróticos e essa foi sua única contribuição para o cinema de terror, e se você pensa que só porque ele é um diretor de filmes eróticos, o filme abusa na "temática adulta", está enganado. Não existem muitas cenas de sensualidade ou qualquer coisa do gênero, apesar de ser considerado inapropiado para menores de 18 anos. O filme tem uma certa atmosfera pesada, que pode ser comparado até com os filmes dos diretores Dario Argento e principalmente Mario Bava, pois a idéia genial de falar sobre o filme no começo só para assustar as pessoas como: Não nos responsabilizamos com os efeitos hipnóticos do filme", ou "Não fale com a pessoa do lado se não conhece"e um filme dentro de outro filme, o que deixa uma confusão danada... No filme de Mario Bava, "Black Sabbath", Boris Karllof, falava no começo do filme que a pessoa do lado poderia ser um Vampiro e de certo modo interagia com o telespectado. A ilustre presença de Zelda Rubinstein, a anã de Poltergaist, o Fenômeno (1982), fez a imagem do filme melhorar mais ainda, tendo uma pessoa reconhecida do cinema. Por isso tudo o filme foi premiado nos festivais de Alvoriaz e Bruxelas.
Por isso dou:

4 Estrelas 

Um comentário:

  1. Não me lembro direto, mas quando saiu em VHS bem no início dos anos 90 não me lembro direito(faz muito tempo) foi na revista SET que avisava que na contra-capa tinha uma observação dizendo "o filme trás técnicas de hipnose, caso vc sentir sono desligue a televisão." algo parecido com isso.
    Gostaria de lembrar direto para poder dar os devidos créditos, mas não me lembro mesmo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...