sábado, 23 de abril de 2011

Uma Sepultura para a Eternidade (Quatermass and the Pit) - 1967


Trabalhando na construção de uma nova linha do metrô em Londres, um grupo de operários encontra a carcaça do que acreditam ser um artefato bélico pertencente aos alemães, da época da Segunda Guerra. Porém, quando um especialista investiga o objeto, todos descobrem que ele guarda um outro grande segredo.

TÍTULO ORIGINAL: Quatermass and the Pit
ANO DE PRODUÇÃO: 1967
TIPO DE FILMAGEM: TECHNICOLOR®
ELENCO:  Andrew Keir, Barbara Shelley, Bryan Marshall, Duncan Lamont
DIREÇÃORoy Ward Baker
ROTEIRO: Nigel Kneale
PRODUÇÃO: Anthony Nelson Keys


TRAILER DO FILME em 480p

GALERIA DE FOTOS

CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

"Um cult total, com roteiro engenhoso e suspense para ningém botar defeito. O diretor Roy Ward Baker sempre foi endeusado pela crítica francesa por suas fantasias" - CultClassic DVD

Com a frase da grande Cult Classic DVD, começamos a crítica de hoje...
Baseado na série de TV da BBC, "Uma Sepultura para a Eternidade" foi o último dos três filmes (trilogia) do Dr. Quartemass, que só anda salvando os Ingleses e a raça humana das ameaças. Uma espécie de "Van Helsing SciFi".
Alguns dizem que este é o melhor da trilogia, outros dizem justamente o contrario. O primeiro filme da trilogia, The Quatermass Xperiment (1955), foi o primeiro grande sucesso da produtora Hammer Films, que depois dele, investiu no gênero "SciFi Horror.
Outro fato curioso é que "Uma Sepultura para a Eternidade", foi o único filme colorido da série, sendo que os dois primeiros são em Preto e Branco.
Apesar do começo ser um pouco cansativo, mostrando somente a escavação da nave, pesquisas sobre os "gafanhotos" e outras enrolações mais, a partir do meio, o filme começa a melhorar. Seu ponto alto é a criatividade nos efeitos especiais e o final genial, que ninguém espera. O interessante é que os créditos do filme ficam no final...
Indubitavelmente um Cult que você deve assistir ou ter em sua coleçao...

CURIOSIDADES
> Também conhecido como "Five Million Years to Earth"
> Reprisado incansavelmente pela TV Difusora (atual TV Bandeirantes).
> imagem mental de Roney, visto em uma pequena tela , é uma foto tirada no início do filme "Four Sided Triangle (1953)" , outro filme de ficção científica da Hammer.
Se você olhar atentamente para as paredes da estação de metro de Londres, você pode ver alguns cartazes dos filme da Hammer com "O réptil (1966)" ,"Drácula: O Príncipe das Trevas(1966)" e The Witches (1966), bem como "My Fair Lady (1964)"e "Hotel (1967)" . 

TUDO SOBRE O DVD (Coleção CultClassic - CultClassic DVD - 2010)
> Até agora, a única a distribuir o clássico em DVD.
> Somente disponível com Legenda em Português.
> Qualidade de Imagem ótima.
> Menu simples, até demais, com um estilo meio "Nero StartSmart", sem nada de especial.
> Arte da capa também meio simples, mas bem impressa.
> Curiosamente na capa, existe um ilustração de um morcego, não tendo absolutamente nada a ver com a história.
> Com capa transparente branca, podendo trocar o modelo da capa para o pôster original.
> O preço, até agora, não é muito acessível, custando em média R$ 30,00. Para um DVD simples, é um pouco caro, mas ao comprar lembre-se, esse não é um DVD qualquer... =D

Por isso, esse filme merece:

4 ESTRELAS




sábado, 9 de abril de 2011

O Gabinete do Dr. Caligari (Das Cabinet des Dr. Caligari) - 1919

Antes de mais nada, agradeço a todos vocês pelo Blog ter chegado aos 1.500 MIL acessos!!!


Num pequeno vilarejo da fronteira holandesa, um misterioso hipnotizador, Dr. Caligari, chega acompanhado do sonâmbulo Cesare, que supostamente estaria adormecido por 23 anos. Caligari induz o jovem Cesare a matar várias pessoas. A noite, Cesare perambula pela cidade, concretizando as previsões funestas do seu mestre. Tudo se complica quando ele se recusa a assassinar uma bela jovem.

TÍTULO ORIGINAL: Das Cabinet des Dr. Caligari
ANO DE PRODUÇÃO: 1919
ELENCO: Werner Krauss, Conrad Veidt, Friedrich Fehér, Lil Dagover
DIREÇÃO: Robert Wiene 


TRAILER DO FILME

GALERIA DE FOTOS

CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

No tempo em que os atores, não só mulheres, usavam batom e lápis de olho, Robert Wiene revolucionou o cinema, não só o cinema Alemão, mas de todo o mundo. "O Gabinete do Dr. Caligari" em 2009 completou 90 anos (nem minha Bisavó era nascida), e hoje, em 2011, o filme tem seus exatos 92 anos, e em 2019 completará 100 anos... 
Não precisa ser matemático para fazer essas contas, tão pouco ter um grande talento crítico para saber que esse filme, mesmo aos olhos dos que não são chegados aos clássicos, é de um valor importantíssimo. Com uma história além da sua época, inteligente e de difícil interpretação a primeira vista, é um filme que lhe faz pensar pelo resto do dia em sua história. 
Apesar dos atores agirem em cena de uma forma teatral, até porque os atores estavam mais acostumados com a platéia teatral do que as câmeras do cinema, não deixa passar despercebido a sua forma de agir e as suas feições ficam gravadas em nossas memórias... Quem não fica com um certo "friozinho" ao ver o rosto de Cesare ao fazer a sua profecia nefasta? E as feições do misterioso Caligari? Com toda a certeza, quem já assistiu, não sai da memória a cena do assassinato na sombra da parede ou de Cesare levando a pobre moça pelos telhados retorcidos góticos... 
O seu cenário, apesar de produzido de forma muito simples, passa ao telespectador um tom surrealista, que você não consegue perceber em uma forma tão forte quanto nesse filme. Existem filmes que realmente "nasceram" para serem mudos e em Preto e Branco, e este filme é um desses. Não consigo imaginar Cesare falando e o pequeno vilarejo em cores... 
Portas, janelas e casas sem formas, tortas e contorcidas dão a impressão de estarmos em um sonho, ou na imaginação de um louco...

CURIOSIDADES

> Considerado o primeiro verdadeiro filme de terror já feito.
O escritor Hans Janowitz afirma ter começado a idéia para o filme quando ele estava em um um dia de carnaval. Ele viu um homem estranho à espreita nas sombras. No dia seguinte, soube que uma menina foi brutalmente assassinado lá. Ele foi para o funeral, e viu o mesmo homem estranho rondando. Ele não tinha nenhuma prova de que o estranho homem era o assassino.
Quando o filme estreou no Teatro Capitólio, em Nova York em abril de 1921, alguns membros da platéia teria vaiado e exigiram seu dinheiro de volta.
O produtor Erich Pommer queria ter Fritz Lang como diretor do filme, Lang estava interessado, mas depois decidiu trabalhar em outro filme.
Boa parte do cenário foi feito de papel, com sombras pintadas nas paredes.
>Em 2005 foi lançado um remake do filme, dirigido pelo cineasta David Lee Fisher. O filme foi lançado em 2007 em DVD pela distribuidora Dark Horse Entertainment.

TUDO SOBRE O DVD ( Expressionismo Alemão "Vol. II": O Gabinete do Dr. Caligari / Continetal)

> A versão em DVD pela Continental é a editada de 1952 em Inglês.
> Disponível com legendas em Português, Espanhol e desnecessariamente, em Inglês.
> Com alguns Extras como: Biografias, Galeria de Pôsters, Crítica de Antunes Filho, Análise da Estética do Filme e o Curta "Genuine" do próprio Robert Wiene.

Por isso esse filme merece:

5 ESTRELAS
(Daria ainda mais estrelas se pudesse...)

SELO GOLDEN FILM

FONTES: WebCine - WikiPedia



quinta-feira, 7 de abril de 2011

A Princesa e o Plebeu - 1953


Uma princesa entediada resolve se divertir anonimamente em Roma. Lá, ela acaba se envolvendo com um fotógrafo que, inicialmente, pretende se aproveitar da situação para 
dar um "furo" mas, posteriormente, se apaixona pela jovem e resolve preservá-la.

TÍTULO ORIGINAL: Roman Holiday
ANO DE PRODUÇÃO: 1953
ELENCO: Audrey Hepburn, Gregory Peck, Eddie Albert
DIREÇÃO:William Wyler 

TRAILER DO FILME:



GALERIA DE FOTOS


CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

"She's a Princess, she is beautiful, she is Audrey Hepburn..."
PARAMOUNT FILMS

Como diz a Paramount: "Ela é uma princesa, ela é linda, ela é Audrey Hepburn ...", já diz tudo sobre a bela Audrey... Uma Audrey radiante e um Gregory irreconhecível faz parte desta incrível comédia romântica. Engraçada, romântica e com um toque certo de drama, faz com que William Wyler dirija esse clássico do cinema... O toque da filmagem em Preto e Branco deixa o filme ainda mais surreal e para completar, com as lindas e totalmente filmadas locações em Roma, o que eles fizeram questão de citar no começo do filme.
E vocês já repararam que ela adora cortar suas madeixas nos filmes? Que eu me lembre agora são somente dois!
Certamente um clássico que você não pode deixar de assistir e nunca deixar de ter em sua coleção... Indispensável para os cinéfilos e grandes fãs, tanto de Audrey como de Gregory!!!



CURIOSIDADES:

> Pretendia-se os atores Cary Grant e Elizabeth Taylor nos papéis principais. (Não sei não em...)
Quando a cena em que a princesa se despede de Joe foi rodada, a atriz Audrey Hepburn não conseguia chorar, como exigia o roteiro. Após várias tentativas infrutíferas, William Wyler reclamou, fazendo com que Audrey começasse a chorar, e só então a cena pode finalmente ser rodada com sucesso. (Willam era dumal em?)
Gregory Peck estava tão convencido que Audrey Hepburn seria indicada ao Oscar de melhor atriz que solicitou que o nome dela aparecesse em primeiro lugar nos créditos; e ele tinha razão, Audrey foi a vencedora do prêmio.
> O primeiro papel principal da carreira de Audrey Hepburn.

TUDO SOBRE O DVD (Edição Especial para Colecionador/Paramount/2003):

> Não existe idioma em Português, mas o Áudio em Inglês é ótimo, e é em 5.1 Dolby Digital! (\o\)
> Esta versão é repleta de Extras, dentre eles: "Edith Head e os Figurinos da Paramount" e "Lembrando A Princesa e o Plebeu". Além de várias fotografias e Extras. (\o\²)
> A Arte da capa está perfeita e muito bonita, impressa em alguns pontos com uma tinta bem parecida com a metálica.

Por isso esse filme merece:

CINCO ESTRELAS

SELO GOLDEN FILM

FONTES: Wikipedia 
IMAGENS:CineManiax - Flickr 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...