quinta-feira, 26 de maio de 2011

Oficialmente, a Hammer volta ás telas do Cinema!


Vocês leram certo! A lendária Hammer, responsável pelos Remakes dos clássicos da Universal no Século 20, está voltando a todo vapor!
Para muitos fãns de carteirinha da Hammer, esta é uma notícia e tanto. É uma emoção muito grande ver o nome da Hammer subir nos letreiros, depois de 20 anos fora do Cinema.
Para os que não conhecem muito sobre a produtora, vamos a uma breve sinopse:

Hammer Film Productions é uma companhia cinematográfica inglesa, fundada em 1934, célebre por realizar uma série de filmes de terror, entre os anos 1955 e 1979.
Seu auge situa-se na década de 1960, quando realizou uma série de filmes sobre Drácula, Frankenstein e múmias.

Parte do seu êxito deve-se à participação da companhia de entretenimento norte-americana Warner Brothers, que atuou na distribuição mundial de alguns de seus sucessos.

A Hammer, na década de 80, começou a entrar em decadência, e seu último trabalho foi a série de Televisão "Hammer House of Horror", que contou com as participações de Peter Cushing e até do "James Bond", Pierce Brosnan no episódio "Águia dos Cárpatos.
A série de TV aqui no Brasil foi transmitida pelo SBT  e distribuída pela London Films, em três volumes incompletos. 

Depois da série de TV, a Hammer fechou as suas portas, e muitos pensaram que era o fim...
Mas depois de mais de 20 anos a Hammer dá as caras mais um vez, numa produção chamada "Deixe ela entrar" (Let me In - 2010), uma versão de um filme Sueco chamado "Lat den Ratte Komma Em" de 2008.                   
Muitos nem prestaram atenção, e outros quando viram, pularam de alegria. Mas existiam muitos que desconfiavam que o filme era como uma "Versão de Teste", se tudo desse certo, a Hammer continuaria a fazer filmes. 

O filme foi até bem recebido pela crítica. "Let Me In” se encontra num patamar qualitativo muito semelhante ao filme original, preservando por inteiro o espírito e a atmosfera da grandiosa película sueca[...], é um filme de visionamento inteiramente obrigatório." Rui Madureira. O filme, resumidamente, fala de Oskar, um garoto de 12 anos que sente-se só. Na escola ele sempre é provocado por outros garotos e, apesar da raiva que sente, é incapaz de reagir. Um dia, ao brincar no pátio repleto de neve do prédio onde mora, ele conhece Eli. Ela é uma garota pálida e solitária, que se mudou para a vizinhança recentemente, em companhia de seu suposto pai. Apesar do temor em se aproximar de Oskar, logo Eli se torna sua amiga. Paralelamente, uma série de assassinatos macabros acontecem, em que o sangue das vítimas é retirado. Eli está envolvida com estes fatos, de uma forma que Oskar jamais poderia imaginar.



Logo depois de "Let me In", veio o filme "O Residente" (The Resident - 2010) que tem no elenco, ninguém menos que Christopher Lee, atuando e "colecionando" filmes ainda com 88 anos. A história conta sobre uma mulher chama Juliet, que depois de se separar do marido, muda-se para um apartamento, quando ela começa a ver "coisas" misteriosas, o que leva a crer que ela não está sozinha. O filme foi lançado este ano, dia 11 de Março no Reino Unido.


Logo depois do lançamento do filme "The Resident", a produtora não parou mais! Ainda lançando o filme "Wake Wood" (2010), que foi lançado poucos dias depois do filme " The Resident", dia 25 de Março. O filme já saiu em DVD no Reino Unido e sairá em DVD nos EUA daqui a um mês. "Wake Wood" conta a história de um homem que perde sua filha e muda-se para um pequena cidade chamada Wake Wood, onde um ritual pagão dá-lhe o privilégio de rever a sua filha por mais três dias.


E já está em pré-lançamento o filme "The Woman in Black” com Daniel Radcliffe, mais conhecido como ator da série "Harry Potter". O filme é a grande esperança do estúdio e com toda a certeza, alcançará grande número de bilheteria, por ser tão esperado pelos fãs. O filme conta a história de um jovem advogado chamado Arthur Kipps, que viaja para uma região remota da Inglaterra para cuidar dos papéis de um cliente recém-falecido. Enquanto trabalha em uma isolada casa antiga, Kipps começa a descobrir seus trágicos segredos. O fantasma de uma mulher amaldiçoa a casa e todo o vilarejo…
O ator Daniel Radcliffe diz estar "muito empolgado com este projeto. O roteiro de Jane Goldman mescla ternura e terror em medidas certas”.

VEJA O TESER TRAILER DO FILME "THE WOMAN IN BLACK" em 720p HD


Pelas poucas cenas que podemos ver do filme, temos certeza que a Hammer irá retornar com o estilo Gótico e o clima pesado de seus filmes que fizeram sucesso no século passado. O filme terá sua estreia em 10 de Fevereiro de 2012 no Reino Unido.
Dos filmes que a Hammer lançou, só foi distribuido no Brasil o filme "Deixe ela Entrar", o restante, ainda não existe data marcada, já que são muito recentes...


A Hammer realmente voltou com tudo! O seu site já mostra isso muito bem... A Hammer está relançando em Boxes, as trilhas sonoras em coleções dos filmes de Frankenstein, Vampiros e Ficção Científica. Também foi lançado e já estão a venda o livro sobre o filme "The Resident" e o livro "The Witches" de Peter Curtis. A produtora também promete remakes de alguns de seus filmes mais famosos!
Como a primeira "empreitada" da Hammer deu certo, a produtora promete que de onde veio este, tem mais! E vamos esperar que isso aconteça mesmo e que os filmes sejam brevemente distribuídos aqui no Brasil, para a alegria de todos os fãs! Vamos ficar na torcida!!! 

Cainã de Andrade Moura

ACESSE O SITE OFICIAL DA HAMMER FILMS!


sábado, 21 de maio de 2011

O Diabo feito Mulher (Rancho Notorious) - 1952

O filme conta a história de uma infame criminosa que mantém uma espécie de hotel escondido nas montanhas para os fora-da-lei. Um cowboy em busca de vingança pela morte de sua amada, segue a pista do assassino até ao esconderijo, onde se infiltra entre os bandoleiros. Ameaçado pelos inúmeros bandidos e seduzido pela criminosa, ele terá que resolver se leva a sua vingança até ao fim, ou se desiste da empreitada.

TÍTULO ORIGINAL: Rancho Notorious
ANO DE PRODUÇÃO: 1952
TIPO DE FILMAGEM: TECHNICOLOR®
ELENCO: Marlene Dietrich, Arthur Kennedy,  Mel Ferrer, William Frawley
DIREÇÃOFritz Lang
ROTEIRO: Silvia Richards

TRAILER DO FILME em 360p

GALERIA DE FOTOS


CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

É muito interessante ver um filme de Western e pensar que o mesmo que dirigiu este filme, foi o mesmo do esplêndido "Metropolis"! Eu acho que seja isso que muitos sentem ao assistir este filme e perceber que Fritz Lang é tão perfeito e completo que passa da Ficção científica para o Western!
Apesar de não ter tantos efeitos e ser tão polêmico quanto Metropolis, que aliás, nada pode ser comparado a Metropolis, o filme ganha a atenção pelos atores, como Marlene Dietric, que fez "O Jardim de Allah", Mel Ferrer e a aparição de George Reeves, mais conhecido como o "Superman", que era um dos bandoleiros. Quase iria me esquecendo de William Frawley! Sim, ele mesmo! O Fred Mertz da série "I Love Lucy"!
O filme tem a típica história dos faroestes, a vingança pela amada que foi assassinada... Mas Fritz Lang tem sempre como torna-la mais original e sempre com um final surpreendente.
 Marlene, apesar de ser a "vilã da história", não consegue fazer a gente sentir raiva dela e as vezes até não parece que ela é a "criminosa" e de certa forma, nos pegamos torcendo pela vitória dela...
O filme é cheio de surpresas, reviravoltas e de certa forma, um pequeno suspense, juntando isso tudo, mais os atores de ponta, Fritz Lang e a grande produtora RKO Radio, a mesma de "King Kong", percebe-se que por ai vem um grande filme! Recomendo a todos que gostem de um Western mais diferente e fora do comum...

CURIOSIDADES

O nome do rancho era Chuck-a-Luck. O filme era para se denominar The Legend of Chuck-a-Luck, mas foi mudado por insistência de Howard Hughes, então executivo da RKO Pictures.
O ator George Reeves, futuro Superman da TV nos anos 50, também aparece como um dos bandoleiros.
Destaque para o ator cherokee Chefe Tahachee, numa memorável participação.
William Frawley estrela este filme, antes de participar da série "I Love Lucy" no papel de Fred Mertz

TUDO SOBRE O DVD (Look Filmes/NePal DVD/Caribe Home Video)

> Disponível com Dublagem em Português que incrivelmente, consegue superar o áudio Original em Inglês.
> Quem quer assistir o filme em Inglês com Legendas, desista! Você não conseguirá assistir nem mesmo Um minuto com a legenda do jeito que está, pelo simples fato de que nas palavras a letra "L" é trocada pela letra "I". Uma lástima para os que gostam de assistir os filmes com legendas...
> A qualidade de imagem está péssima! Parece até com uma imagem em VHS ou pior... Sem contraste, nitidez, cheia de riscos e "tremedeiras".
>A arte da capa está mais ou menos... Podemos dizer que eles fazem um propaganda negativa, porque nas imagens no fundo do DVD, mostra a péssima qualidade do filme contida no disco.
> O interessante é que nos primeiros Lotes da distribuição, a capa vinha com a foto do ator Mel Ferrer, que pouco aparece no filme, mas depois eles trataram de mudar a capa, agora com a Marlene em tons coloridos e algumas fotos dela no fundo...
> O preço é bem acessível, mas chega a ser caro pela péssima qualidade da distribuição... Mas de qualquer jeito, é difícil encontra-lo por ser uma das poucas a distribuir o título no Brasil... 

Por isso esse filme merece:
QUATRO ESTRELAS



FONTES: WikiPedia - CinePlayers

domingo, 15 de maio de 2011

Agora seremos Felizes (Meet Me in St. Louis) - 1944


Local: St. Louis. O ano: 1903. Na família Smith, existem quatro lindas garotas, incluindo Esther, de 17 anos e a pequena Tootie. Esther acaba se apaixonando pelo vizinho récem-chegado, John, que não lhe dá muito atenção à princípio. As coisas mudam quando o Sr. Smith deve se mudar com sua família para Nova York, por causa de seu trabalho.

TÍTULO ORIGINALMeet Me in St. Louis
ANO DE PRODUÇÃO: 1944
TIPO DE FILMAGEM: TECHNICOLOR®
ELENCO: Judy Garland, Margaret O'Brien, Mary Astor, Leon Ames,Lucille Bremer
DIREÇÃOVincente Minnelli
ROTEIRO:  Irving Brecher

TRAILER DO FILME em 360p

GALERIA DE IMAGENS


CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

"O cativante Musical de Minelli chega fresco como tinta a cada vez que é assistido, tão charmoso e nostalgicamente romântico como um antigo namorado." - Tom Milne, TIME OUT FILM GUILDE.

Judy Garland! Basta dizer este nome que sabemos que onde ela está, nada fracassa - pelo menos nos filmes e programas de TV, porque na vida dela, nem se fala!-.
Claro que Garland é a estrela do filme, que está mais linda do que nunca. Minelli, assim como dizia Liza Minelli, pareceu "emoldurar" o rosto da bela Judy nas filmagens. E não é só ela que ele tentou "emoldurar"...
Realmente, o filme é como um quadro. Grandiosos cenários, lindas cores em TECHNICOLOR. Figurinos, carros e casas, tudo parece reviver o começo do Século 20.
As músicas então, nem se fala! Não sei se posso chama-lo de Musical, porque certa vez, Minelli falou que o filme não era um musical e sim " uma história de amor com música". Mas independente disso, todas as músicas e números musicais são ótimos e alegres. Nenhuma música é ruim, mas para mim, as melhores são "Trolley Song" e "Have yourself a merry Litte Christmas", que por essa música, tanto o filme quanto a própria canção, viraram um clássico natalino, reprisado várias vezes na TV americana no dia do Natal. Ambas regravadas inúmeras vezes. Sem falar ainda na música "The Boy next Door" que embalou os apaixonados pelos vizinhos...
O filme retrata também um lado muito importante na vida dos jovens: a mudança de casa ou de cidade. Perder os amigos do colégio e da rua, ou até o namorado é um problema que vários adolescentes e jovens tem que viver e o filme passa esta mensagem muito bem.
O que escolher? A alegria dos filhos ou o sucesso no Emprego? Assistam e me digam o que acharam, certamente não irão se arrepender!

CURIOSIDADES:

Este filme ocupa a 10ª colocação na Lista dos 25 Maiores Musicais Americanos de todos os tempos, idealizada pelo American Film Institute (AFI) e divulgada em 2006.
O diretor Vincente Minnelli conheceu sua futura esposa, Judy Garland, no set de filmagens deste filme. Em uma edição em DVD do filme, a filha do casal, Liza Minnelli, comenta que em várias cenas do filme o pai parece emoldurar a figura da mãe, como para realçá-la.
>No filme, Garland canta as cancões The Trolley Song e Have Yourself a Merry Little Christmas, que se tornaram clássicos depois da estréia do filme. Inclusive, ambas as canções foram incluídas na Lista das 100 melhores canções do cinema estadunidense lançada pelo American Film Institute em 2004.
> Entre as regravações de "Have Yourself a Merry Little Christmas", uma das mais famosas é a de Diana Krall.
> "The Trolley Song" foi regravada várias vezes, inclusive pela própria Garland em seu programa "The Judy Garland Show" com Mel Tormé.
> O mais famoso "remake" da cena do Trolley é a com Judy Davis no documentário "Me and My Shadows".


TUDO SOBRE O DVD (Edição Especial c/ DVD Duplo - Warner Bros. - 2004):

Novamente, a melhor distribuição do exemplar no Brasil é da Warner, que está com DVD Duplo em uma Edição Especial.
> Disponível em Português, mas com um único defeito, em MONO, o que deixa o som abafado e que encomoda muito nas músicas. A solução é na hora das músicas, passar para o Áudio em Inglês, que está em 5.1, limpíssimo, ao contrário do Dublado, que parece áudio de LP.
> Qualidade de Imagem Excelente! Somente com aquelas típicas trocas de tons verdes das filmagens em TECHNICOLOR, mas isso é normal...
> Tudo muito bem trabalhado, tanto o Menu como a Capa. A luva em papelão evita os amassos e a capa do "amaray" é diferente da luva. Tudo muito bem impresso e a capa é o pôster original. Típico da Warner, nunca deixa a desejar...
> Os extras são interessantíssimos! Makinf Of, documentário sobre Judy Garland e o filme, Outtakes e muito mais!
> O DVD está indisponível e fora do catálogo em muitos sites. É muito raro encontrar a versão especial para comprar nas lojas. Mas o preço está variando de R$ 30,00 para R$ 40,00. Um pouco salgado, mas é uma versão incrível e com toda a certeza o dinheiro é muito bem gasto! =D

Por isso, esse filme merece:

CINCO ESTRELAS
(Já era de se esperar não é?)


SELO GONDEN FILM 

domingo, 8 de maio de 2011

Os Três Mosqueteiros (The three Musketeers) - 1948


D'Artagnan, um jovem provinciano, chega à Paris com o intuito de se tornar um mosqueteiro. Ele encontrará muitos obstáculos, ação, amor, ódio, o rei e a rainha. E ainda Richelieu e sua impetuosidade, que deixará D'Artagnan envolvido em tramas políticas. Mas contra tudo e todos ele se junta a Athos, Porthos e Aramis.



TÍTULO ORIGINAL: The three Musketeers
ANO DE PRODUÇÃO: 1948
TIPO DE FILMAGEM: TECHNICOLOR®
ELENCO: Lana Turner,Gene Kelly,Van Heflin,Gig Young,Vincent Price
DIREÇÃOGeorge Sidney
ROTEIRORobert Ardrey
PRODUÇÃOPandro S. Berman

TRAILER DO FILME em 360p

GALERIA DE IMAGENS

CRÍTICA DO SITE por CAINÃ MOURA

"Aventura e Ação em altas doses. Seu vigor e inventividade é um prazer a ser contemplado"
-HALLIWELL'S FILM GUIDE-

Quando Alexandre Dumas escreveu "Os Três Mosqueteiros" não sabia que de seu livro, sairia um dos melhores filmes já feitos na época de ouro do Cinema. Se você já viu "Cantando na Chuva" e achou que essa foi a melhor performance dele, esqueça! Pare tudo e assista "Os Três Mosqueteiros". Pode até ser que ele tenha sido melhor cantando, mas nas coreografia de lutas e brigas, Gene Kelly recebe o mérito!
A presença de Lara Turner é estonteante e com toda certeza, deixa a tela mais bonita, sem falar em sua ótima interpretação como a malvada Lady de Winter.
Vincent Prince então, apesar de aparecer muito pouco na tela, marca sua presença e não deixa passar despercebido.
O filme resume-se em grandes cenas de lutas, incríveis cenários, boas interpretações, muita aventura e um final incrível, inimaginavel, cruel e apesar de tudo, justo. Além da lindíssima fotografia em Technicolor, que dá mais beleza ao filme.
Não é por menos que ele ganhou o Oscar de Melhor Fotografia.

CURIOSIDADES:

Raro papel de Gene Kelly em que ele não canta e dança.
> Ganhou o Oscar de Melhor Fotografia.
> Nos cartazes e no começo do filme, o nome de Lara Turner vem antes do de Gene Kelly.
> Foi o primeiro filme colorido em que Lara Turner apareceu.
> O filme "não-musical" favorito de Gene Kelly.
Ian Keith , que interpreta Rochefort neste filme, também interpretou o personagem na versão de 1935.

TUDO SOBRE O DVD (Warner - 2007)

> A melhor distribuição do exemplar no Brasil.
> Somente disponível com Legendas em Português
> Qualidade de Imagem Excelente! Nunca ví uma imagem tão bonita em um DVD até agora.
> Menu Estático, mas muito bonito.
> Arte de Capa com postêr original de lançamento. Muito bem impresso.
> Com extras muito interessantes como: "Um Olhar sob Londres" e "Que preço Fleadom". Além do "MGM Rádio Promo" que é somente a voz, sem vídeo e sem legendas.
> O preço até agora é muito acessível, variando de R$ 9,90 á R$ 19,90 . Se por acaso você ver esse filme em uma loja, pegue e saia correndo pro caixa! Mas sempre procure as melhores promoções... =D

Por isso esse filme merece:

CINCO ESTRELAS

SELO GOLDEN FILM





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...